img { max-width: 100%; height: auto; width: auto\9; /* ie8 */ }

Pesquisar este blog

quinta-feira, 25 de maio de 2017

ITAÍÇABA: BERÇO DE MEUS ANCESTRAIS

Antonio Jose de Oliveira
Pres Abrajet CE
Na semana passada, tivemos a enorme satisfação de visitar, acompanhado por um colega de trabalho e profissão, Edilmo Gurgel, pela vez primeira, a cidade natal de nossos avós João Viana Barbosa e Maria Viana Barbosa e de nossa mãe Luzia Viana de Oliveira, precisamente Itaiçaba, localizada, no Litoral Leste do Estado, a uns 180km de Fortaleza, capital do Ceará.
Itaiçaba, nos tempos dos nossos avós e tios, era distrito da cidade de Aracati, que teve seu auge de riqueza, com a exploração das charqueadas (carne bovina), que a projetaram, nacionalmente, além da famosa e internacional praia de Canoa Quebrada.
O coração bateu mais forte, de emoção, ao chegarmos à entrada da hospitaleira e arborizada Itaiçaba, com menos de 10 mil habitantes, e uma área de 212,109. Nossa visita à sede municipal foi com a finalidade de auxiliar o colega de trabalho, nos preparativos, para a inauguração, em breve, do escritório da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), empresa na qual, há muitos anos, somos o assessor de comunicação e ouvidor.
A satisfação e a emoção aumentavam, à medida que percorríamos as ruas, prédios históricos, repartições públicas e praças bem cuidadas, a linda igreja católica N.S. da Boa Viagem, o busto de ex-governador e senador pelo Estado do Ceará, um dos fundadores do jornal O Povo, e um obelisco, casas luxuosas da família Costa Lima e de outras que eram donas de carnaubais, quando a cera de carnaúba era um produto bastante valorizado, comercialmente, nos idos de 1930 a 1950.
Depois do passeio, encontramo-nos com a vice-prefeita de Itaiçaba, Magnólia Leitão de Paula, pessoa simples, educada e comunicativa, a exemplo do seu marido, o secretário municipal da Agricultura, Sérgio Barbosa de Paula, e com o futuro coordenador do escritório local da Ematerce, José Gutemberg da Silva Júnior, e o agente rural Mário Aldenísio Oliveira da Silva.
Ao meio dia, dirigimo-nos ao mercado público, para comer uma panelada, preparada pelo Rei da Panelada, do Sarrabulho e da Buchada, Hercílio de Russas (ele é originário da cidade de Russas-CE), o único que faz essas iguarias, preferidas por quem gosta de tomar umas e outras  e tirar o gosto com essas comidas à base de vísceras de boi, de porco e de carneiro.
Falamos, ainda, com alguns habitantes do sexo masculino e feminino, perguntando-lhes sobre o outrora povoado de Passagem das Pedras, antes da emancipação política de Aracati, passando a município de Itaiçaba. Disseram-nos (já sabíamos disso por minha falecida avó Maria Viana Barbosa), que há uma localidade com a denominação de Barreira dos Vianas, em homenagem à nossa família por parte dos nossos avós e mãe.
Bem! Retornamos a Fortaleza, feliz da vida, e com um sonho realizado: conhecer um pouco do berço-natal de nossos ancestrais, pelo lado materno, aos 71 anos de idade. Pena que nosso pai e mãe estejam em outra dimensão, há muitos anos, para relatar-lhes a honrosa visita. A próxima ida     ocorrerá, quando da inauguração, pelo governador Camilo Santana, do escritório da Ematerce, defronte ao mercado público. Então, será um renovado prazer rever a pacata e agradável cidade de Itaiçaba.
 HISTÓRICO: segundo dados do IBGE, a cidade é cortada pelo Rio Jaguaribe, num imenso vale, onde surgiu o lugarejo Passagem de Pedras, onde se situa Itaiçaba. O nome primitivo veio da parte do rio, onde se situa a cidade, por ser demais pedregosa. Pelo decreto nº 448, de 20 de dezembro de 1938 foi adotado o nome de Itaiçaba, tradução erudita desse aspecto natural. A lei nº 3.338, de 15 de setembro de 1956, elevou-o à categoria de município, sendo instalado oficialmente a 7 de outubro do seguinte ano. Fora distrito Policial, criado em 1883, (nosso avô foi delegado e responsável pelo posto dos correiros e telégrafos (na década de 30) e como distrito administrativo pertenceu primitivamente a Aracati, criado em 21 de agosto de 1923. A paróquia de Itaiçaba está sob a proteção mística de Nossa Senhora da Boa Viagem e foi criada em 1941. Distrito, criado com a denominação de Passagem de Pedras, por ato estadual de 21-08-1913, subordinado ao município de União. Em divisão administrativa, referente ao ano de 1933, o distrito de Passagem das Pedras, figura no município de União. Assim, permanecendo em divisões territoriais, datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.      
Pelo Decreto-Lei estadual nº 169, de 31-03-1938, retificado pelo decreto estadual nº 378, de 20 10-1938, o distrito de Passagem de Pedras passa a ser grifado Passagem das Pedras. Pelo decreto estadual nº 448, de 20-12-1938, o distrito já grafado Passagem das Pedras passou a denominar-se Itaiçaba. No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o distrito de Itaiçaba ex-Passagem das Pedras, figura no município de União. Pelo decreto-lei estadual nº 1114, de 30-12-1943, o município de União passou a denominar-se Jaguaruana. Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o distrito de Itaiçaba figura no município de Jaguaruana ex-União. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1955. Elevado à categoria de município, com a denominação de Itaiçaba, pela lei estadual nº 3338, de 15-09-1956, desmembrado de Jaguaruana. Sede do antigo distrito de Itaiçaba. Constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005. :Alterações toponímicas distritais: Passagem de Pedras para Passagem das Pedras alterado, pelo decreto-lei estadual nº 169, de 31-03-1938, ratificado pelo decreto estadual nº 378, de 20-10-1938. Passagem das Pedras para Itaiçaba alterado, pelo decreto estadual nº 448, de 20-12-1938.

Nenhum comentário:

Postar um comentário